Detalhes do Artigo

Effect of Physical And Academic Stress on Illness and Injury in Division 1 College Football Players
Sonafe Brasil - sexta, 24 de julho de 2020


por Raphael Salgado - Comissão de Futebol Americano e Rugby

Já é bem demonstrado, que alterações psicológicas nos atletas, como a ansiedade e estresse, podem gerar perdas dos níveis de atenção, diminuição da percepção espacial, falta de observação a estímulos externos menores e aumento das tensões musculares, predispondo a eventos lesivos. 


Em esportes de colisão, como o Rugby e o Futebol Americano, onde o contato entre os atletas ocorre recorrentemente (a cada jogada), perdas de atenção e percepção potencializam os efeitos traumáticos, levando a lesões.

No Brasil, onde os dois esportes ainda estão crescendo, a maioria dos atletas devem conciliar as demandas esportivas com trabalho e estudos. Qual seria então o efeito dessa dupla tarefa sobre as lesões, por estresse físico e mental?

Em 2015, foi feito um estudo com uma equipe de futebol americano da Universidade de Missouri (Division I da NCAA), onde 101 atletas foram acompanhados durante a temporada e foram observadas as ocorrências de lesão em 3 períodos: 

- Camping (HPS), que são 3 semanas intensas de treinamento pré ano letivo; 
- Durante as semanas de exames universitários (HAS);
- E no restante das 20 semanas de aulas da universidade (LAS), onde os atletas não estariam sobre estresse físico ou mental.

60 atletas sofreram afastamento por lesão durante o período, sendo observado 4x mais lesões no HPS em relação a LAS e 2x mais lesões em HAS do que LAS, estando os momentos de Camping e Exames Universitários relacionados a maioria do eventos lesivos do ano.

Quando considerado apenas os atletas que jogaram (considerando que dos 100 atletas que compõe a equipe, apenas 53 vão para jogo), aconteceram 3x mais lesões em HAS do que LAS e não houve diferença entre os períodos de alto estresse físico e mental.
Isso nos leva a considerar que atletas “titulares” teriam chances importantes de lesões quando em estresse físico ou mental, possivelmente pelas pressões de se manterem em alto nível físico e técnico durante toda a temporada, associado a manter altas médias acadêmicas.

Fisioterapeutas, demais profissionais de saúde, comissão técnica e atletas precisam estar atentos a essas demandas mentais fora do ambiente esportivo, para minimizar as chances de eventos lesivos durante a temporada.

Aplicando no Brasil, muito importante estarmos cientes quantos as demandas de trabalho e estudos dos atletas, que possam afetar performance e riscos físicos, principalmente por estarmos lidando com atletas amadores em sua maioria.



Sonafe 2016 © Todos os Direitos Reservados
Designed by Centersite