Detalhes do Artigo

Tendinopatia – Por que o anti-inflamatório não funciona?
Prof. Rodrigo R. de Oliveira - quarta, 14 de junho de 2017


Os tendões são estruturas essenciais para a funcionalidade humana, sobretudo para o movimento e estabilidade do nosso corpo. Muitos fatores predispõem a alteração anormal do tendão. No entanto, basta associar o erro na progressão de carga do treinamento com alguns fatores biomecânicos para desencadear uma Tendinopatia. A insistência neste quadro trará a dor e a redução da sua capacidade funcional.

Certamente, você deve ter um conhecido que sofre com uma tendinopatia ou você mesmo pode ser a vítima desta anormalidade do tendão. E, muitas dúvidas surgem, tais como: O que é a tendinopatia? Como se deve agir? Quem procurar para tratar?...

A tendinopatia é a condição dolorosa e incapacitante que acomete os tendões. Erroneamente, ainda é conhecida como tendinite (Tend= Tendão; Iti=Inflamação) que remete a uma condição inflamatória dos tendões. Nas últimas duas décadas de pesquisas foi estabelecido que a resposta inflamatória não está presente e não tem grande importância. Embora o termo não pareça relevante clinicamente, chamar a condição de tendinite pode trazer mais dúvidas de como agir.

Continuadamente atendo pacientes e atletas que fizeram uso de anti-inflamatório das mais diversas formas (não-esteróides -AINEs e esteroides). O efeito do anti-inflamatório oral nas tendinopatias é controverso e não tem se mostrado eficaz no tratamento em pacientes com tendinopatia. O uso prolongado de AINEs é negativo para o tendão. Os AINEs atrapalham a cicatrização e reorganização dos tendões, assim atrasam o processo de cura da tendinopatia1,2. Ainda mais controversa, as injeções de corticoides também interferem negativamente no reparo do tecido do tendão e o uso destes medicamentos está associado com maior risco de ruptura do tendão3.

O uso de medicamento não deve ser a principal linha terapêutica e, caso seja a escolhida, deve ser muito bem planejada e somente em casos muitos específicos3 – não faça uso de medicamento sem prescrição de um médico. Entenda que estas drogas não conseguem agir na causa da tendinopatia, não conseguem corrigir os fatores causais e, para tanto, não irão levar a cura definitiva da sua tendinopatia.

Ademais, as melhores práticas para o tratamento das tendinopatias estão relacionadas à correção dos movimentos, cinesioterapia com exercícios isométricos – isotônicos e com auxílio de outros recursos da Fisioterapia. Os estudos das últimas 2 décadas confirmam que o exercício terapêutico é a melhor conduta para tratar e prevenir a tendinopatia. Para tratar ou prevenir, não deixe de procurar um Fisioterapeuta do Esporte.

Prof. Rodrigo R. de Oliveira, PT SONAFE MScPT PhD
Universidade Federal do Ceará/UFC - Federal University of Ceara
Faculdade de Medicina - Faculty of Medicine
Departamento de Fisioterapia - Department of Physical Therapy

CHECHIK, Ofir et al. Timing matters: NSAIDs interfere with the late proliferation stage of a repaired rotator cuff tendon healing in rats. Archives of orthopaedic and trauma surgery, v. 134, n. 4, p. 515-520, 2014.

CONNIZZO, Brianne K. et al. The detrimental effects of systemic Ibuprofen delivery on tendon healing are time-dependent. Clinical Orthopaedics and Related Research®, v. 472, n. 8, p. 2433-2439, 2014.

SKJONG, Christian C.; MEININGER, Alexander K.; HO, Sherwin SW. Tendinopathy treatment: where is the evidence?. Clinics in sports medicine, v. 31, n. 2, p. 329-350, 2012.



Sonafe 2016 © Todos os Direitos Reservados
Designed by Centersite